Uma melhor Gestão de Riscos nos fundos de pensão

fundos de pensão

As alterações na Resolução CMN nº 3792, que trata dos investimentos dos fundos de pensão, estão em fase final de elaboração e serão fortemente embasadas na Gestão de Riscos. As fundações FAELBA e FORLUZ, clientes do QSP na implantação da ISO 31000 e da QSP 31000, são dois bons exemplos de entidades de previdência privada preocupadas em melhorar cada vez mais a administração integrada de todos os seus riscos.

As mudanças na Resolução nº 3792 estão em fase final de elaboração, depois de terem sido objeto de amplo debate promovido pela Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc) com os representantes do sistema de previdência complementar fechada e dos mercados.

Com a Resolução 3792 repaginada, o sistema avançará em termos normativos e estará melhor equipado para fazer frente às demandas de maior rigor advindas da Gestão de Riscos e do conceito de Supervisão Baseada em Riscos.

Dois casos emblemáticos são a FAELBA e a FORLUZ.

O caso FAELBA

A FAELBA – Fundação Coelba de Previdência Complementar – é uma entidade fechada de previdência privada patrocinada pela Companhia de Eletricidade do Estado da Bahia (COELBA), pela Tracol Serviços Elétricos S/A e pela própria FAELBA. O principal objetivo da Fundação é garantir a suplementação dos benefícios previdenciários aos participantes de seus planos de benefícios.

A jornada inicial da FAELBA na sistematização da Gestão de Riscos está resumida em seu informativo de agosto de 2014 e na figura abaixo. Nos dias atuais, o sistema da entidade encontra-se bastante amadurecido.

FAELBA

O caso FORLUZ

Por sua vez, a FORLUZ – Fundação Forluminas de Seguridade Social – é o fundo de pensão dos funcionários da Cemig, o maior de Minas Gerais, e está entre os oito maiores do Brasil, com ativos financeiros que somam atualmente cerca de R$ 13 bilhões.

A FORLUZ, visando a aprimorar ainda mais a administração de seus riscos, iniciou a implantação de um Sistema de Gestão de Riscos (SGR) no último mês de maio. As primeiras atividades do processo de implantação do SGR estão resumidas na figura a seguir.

FORLUZ

O SGR da entidade está baseado na norma internacional ISO 31000:2009 e na nossa norma QSP 31000:2016. A implantação do Sistema de Gestão de Riscos da FORLUZ deverá se estender até o mês de fevereiro do próximo ano.

Compartilhe