Conceitos e Planilhas Relacionados à Gestão de Riscos: são o ‘samba do afrodescendente doido’?

Samba do Criolo Doido

É significativa a confusão conceitual, existente em todo o mundo, sobre diversos termos relacionados à Gestão de Riscos. A ideia central deste post é chamar a atenção do leitor para o entendimento correto de termos e conceitos básicos que, se não forem adequadamente compreendidos, dificilmente serão praticados de forma apropriada, podendo causar sérios problemas e perdas para uma organização e suas partes interessadas.

Na sua empresa, os termos abaixo são entendidos e aplicados de acordo com boas práticas e normas internacionais atualizadas?

# Risco, Perigo, Aspecto, Modo de Falha, Ameaça, Impacto, Consequência, Significância, Criticidade;

# Mentalidade de Risco, Risco e Oportunidade, Risco e Nível de Risco;

# Fonte de Risco, Causa, Evento, Efeito;

# Apetite pelo Risco, Atitude Perante o Risco, Critérios de Risco;

# E estes termos em inglês: Safety, Security, Hazard, Risk Source, Danger, Threat, Probability, Likelihood, Evaluation, Assessment…?

Uma evidência do que parece ser o ‘samba do afrodescendente doido’ na Gestão de Riscos são as Planilhas de LIRA, Perigos e Riscos de SST, Registro de Riscos, APP, APR, FMEA, FMECA, etc. que circulam pela internet e nas empresas…

E isso leva a uma outra questão:

Quais ferramentas e técnicas deve-se utilizar para o processo de avaliação de riscos?…

Veja aqui o que recomenda a ISO/IEC 31010.

Se estes termos, conceitos e ferramentas geram confusão ou aplicações equivocadas e ineficientes em sua organização, confira as opções oferecidas pelo QSP para ajudar você e sua empresa a destrincharem esse aparente ‘samba do afrodescendente doido’ !

Compartilhe